segunda-feira, 1 de setembro de 2014

ENTREVISTA COM O TÉCNICO JÚLIO CÉSAR NUNES


Hoje estive conversando com o técnico do Esportivo, Júlio César Nunes. Treinador da nova geração do futebol gaúcho e que atualmente faz um grande trabalho no time de Bento Gonçalves. Confira como foi nossa entrevista:

>>> Esta é tua primeira oportunidade como técnico da equipe principal, mas tu já está no Esportivo a bastante tempo, o "Tivo" é teu primeiro clube?
JÚLIO: Iniciei minha carreira cedo, logo aos 18 anos parei de jogar, joguei até juniores, em equipes como Brasil FA, SER Caxias e UCS. Após ingressei na faculdade de Educação Física e comecei a trabalhar como comissão técnica, isso no ano de 2003, permaneci nas equipes de futebol da UCS (campo) até final de 2004, onde tive o convite para ser técnico das categorias de base do E.C. juventude, onde trabalhei nos anos de 2005 e 2006. No Juventude tive boas experiências trabalhei com atletas como Zezinho, Fernando que chegou no Grêmio e seleção, Rômulo, Alex Telles, entre outros..... Participamos de muitas competições à nível nacional e também pude fazer parte da equipe B do clube, sendo auxiliar técnico do Caio Mello, filho do Paulo Autuori na Copa RS de 2006. Naquela oportunidade, comandei a equipe interinamente em uma partida. Após tive passagens pela base da SER Caxias em 2007 e 2008 e fora do estado do RS também. No ano de 2010, tive o convite do Ademir Bertoglio (atual gerente de futebol do Veranópolis) para ser técnico da equipe sub-20 do Sport Club Campo Mourão PR. Fui técnico no paranaense sub-20 e auxiliar técnico do profissional da Segunda do paranaense. Em 2011 retornei e fui trabalhar no Esportivo como técnico do sub-17. No mesmo ano já exerci a função de auxiliar do profissional, trabalhando com Nestor Simionatto e Hélio Vieira. No ano de 2012 fui efetivado auxiliar técnico do clube, onde conheci o Luiz Carlos Winck, fizemos uma campanha excelente, se sagrando campeão da divisão de acesso de 2012. No ano seguinte, continuamos no clube e chegamos às semi-finais do gauchão A contra o Internacional. No segundo semestre, o Winck me convidou para ir para o Passo Fundo, onde fomos Campeões da Copa Serrana. Após o Esportivo me fez o convite para retornar e ser o auxiliar do Émerson Ávila no Gauchão 2014. Foi muito bom, pois aprendi muito com o Émerson. Quando ele saiu, assumi como interino e conquistamos um ponto importante fora de casa, contra o Cruzeiro POA. Após continuei com o Flávio Campos, onde também aprendi bastante. Após o gauchão, me efetivaram como técnico principal do clube. Fiquei muito feliz e me sinto preparado para fazer um bom trabalho. Sempre comentei que seria um "salto sem volta", e graças a Deus, os trabalhos estão sendo bons e os resultados aparecendo.

>>> Tu sempre sonhou em ser técnico de futebol, ou em algum momento pensou em ser jogador?
JÚLIO: Sempre foi meu sonho, como a maioria_dos jovens, ser jogador de futebol. Mas quando estava com 18 anos, uma hérnia de disco nas costas acabou me atrapalhando, poderia até ter feito a cirurgia e insistir mais, mas como já tinha a ideia de fazer o curso de educação física, segui para o lado de comissão técnica, e vejo que foi o mais coerente a ser feito, hoje me sinto muito feliz com meu trabalho. Gosto muito do que faço, faço com muito amor.

>>> Para a profissão de técnico tu é bastante jovem, tu esperava ter uma oportunidade em um clube profissional tão cedo?
JÚLIO: Como estou há quase 4 anos no clube, isso ajudou um pouco. Pois já me conhecem e sabem do meu perfil. Que apesar da idade, sempre demonstrei muita maturidade e seriedade nos meus trabalhos. A oportunidade aparece e você precisa estar preparado. Esses anos como auxiliar técnico, me deram muita bagagem. Acredito que a experiência se dá pelas vivências e não somente pela idade. Vale ressaltar que Tite treinou seu primeiro clube com 29 anos, Péricles Chamusca foi vice campeão brasileiro com 27 anos, assim como outros na nova geração, Dado Cavalcanti na série B do brasileiro quando tinha 29 anos... Hoje temos muitos técnicos aparecendo e mostrando que a renovação precisa ser feita.

>>> Tu vem fazendo um trabalho muito bom no Esportivo, bem acima das expectativas. Tu esperava que o trabalho seria tão bom desde o início?
JÚLIO: Acredito que o trabalho se dá por partes, já na montagem  do grupo, procurei trazer atletas com um perfil bom. Que gostasse de trabalhar e que eu já tinha trabalhado. Isso aconteceu com a maioria. Sempre que estou por casa, ou nos períodos que não têm competições, vejo jogos e aumento meu banco de dados. Conheço muitos atletas, desde base até profissional. Isso ajudou, eles, atletas, compraram a ideia. O trabalho está sendo bom sim, mas sempre passo aos meus atletas, para terem os pés no chão, passo a passo. A humildade é muito importante. Claro, que posso dizer, que pelo baixo investimento, os resultados já estão acima das expectativas. Hoje, estamos entre os 8 melhores na Copa Fernandão, nas quartas de final, uma competição que pode colocar o Esportivo na Copa do Brasil. E na Serrana, invictos, de 9 pontos disputados, conquistamos 7. E ressalto também o trabalho da minha comissão técnica, consegui trazer profissionais que são de minha confiança e que são muito bons. O Marquinhos Muniz de preparador de goleiros e o Gustavo leão na preparação física. Ambos, além de exercerem muito bem as suas funções me auxiliam no dia a dia para uma melhor condução do trabalho.

>>> A maioria dos clubes usam as copas do segundo semestre como laboratório para o ano seguinte, entretanto outros buscam os títulos. O objetivo do Esportivo é conquistar taças neste segundo semestre?
JÚLIO: O objetivo do clube é usar como laboratório. Observar atletas que possam ter uma sequência aqui no clube para o próximo ano.Também lançar alguns atletas oriundos da base. Claro que para nós da comissão técnica e atletas, o objetivo é sempre chegar o mais longe possível. Entrar sempre para vencer. Mas passo a passo, com muita inteligência nas decisões e planejamento para saber aonde queremos chegar.

>>> Qual a maior dificuldade que tu vem encontrando para juntamente com a direção do clube fazer futebol neste segundo semestre?
JÚLIO: Todos nós sabemos das dificuldades que os clubes encontram para fazer futebol no segundo semestre. A federação poderia ajudar mais os clubes, tentando alguns patrocinadores para essas copas. Isso ajudaria muito. Mas de qualquer forma, o poder público e os torcedores poderiam ajudar mais, muito se cobra futebol no segundo semestre, e quando o clube faz, poucos apoiam.

>>> Tu gostaria de deixar uma mensagem para o torcedor do Esportivo?
JÚLIO: Gostaria de dizer que tenho um carinho muito grande pelo Esportivo, pois foi o clube que me abriu as portas lá em 2011. E agora neste ano, me dando essa oportunidade de realizar um trabalho como técnico principal da equipe. Tenho um enorme respeito ao torcedor alviazul, pois sei que são poucos, mas fiéis. estes que amam o Esportivo e não desistem do seu clube. Faço um apelo que compareçam e torçam pelo nosso clube. Pois as expectativas são boas, estamos chegando passo a passo, nas duas competições. vamos juntos, tornar o esportivo cada vez mais forte!


FONTE: http://toquedebolars.blogspot.com.br/2014/08/entrevista-com-o-tecnico-julio-cesar.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário