terça-feira, 3 de abril de 2012

Treinamento tático no futebol!!!



*Júlio César Nunes
            Os treinamentos no futebol vêm evoluindo muito nos últimos anos, tanto a nível de categorias de base como no Profissional. Na Europa, principalmente, o treinamento em campo reduzido foi introduzido e muito enfatizado, ele continua sendo o método mais utilizado pelos técnicos europeus, pois o uso dessas atividades em espaço reduzido  se mostra como uma nova perspectiva metodológica que, paralelamente ao objetivo do treinamento, desenvolve a criatividade nos jogadores, fator fundamental no futebol moderno.
            No Brasil, a maioria dos técnicos utiliza o campo reduzido em seus treinamentos, mas ainda não da forma como se poderia ser utilizado e aproveitado. O que geralmente acontece, são programações semanais rotineiras com um trabalho físico, dois coletivos, um trabalho em espaço reduzido com um objetivo apenas, bolas paradas e o famoso “rachão”. Isso quando se tem a semana inteira de treinamentos, quando se tem dois jogos por semana, quase não se é trabalhado. Quando ressalto que temos muito a evoluir em nosso país, não me refiro apenas aos técnicos de futebol, mas aos atletas que quando comparados aos das equipes da Europa, são poucos comprometidos com a equipe taticamente. Com isso, o treinamento tático em campo reduzido aparece como uma forma dinâmica e inteligente de se trabalhar o atleta.
            Dentro do contexto geral do treinamento, não basta dizer que o treinamento é tático, e sim especificá-lo conforme sua classificação e função dentro do objetivo a se alcançar. É necessário uma divisão do seu conteúdo para o uso consciente de tal treinamento e não esporadicamente, sem analisar a situação e suas consequências.
            O tema tática engloba a tática individual, grupal e de equipe como inter-relação entre todos os componentes da equipe para alcançar a melhor capacidade de ação no ataque e na defesa. No parâmetro das táticas individuais relaciona-se as tarefas feitas individualmente com a bola, e principalmente sem  bola, onde incluem-se coberturas, infiltrações, movimentações, etc. Nas táticas de grupo, subtende-se um setor da equipe ou um grupo que realizem funções táticas, que podem ser linhas de impedimento, trocas de posições, overlaps, tabelas, jogadas ensaiadas, etc. Táticas de equipe, são as funções táticas feitas coletivamente, onde para o funcionamento dessas funções depende de toda a equipe, onde nesse quesito temos as compactações da equipe, as linhas de marcação ( meio campo, intermediária, campo inteiro), a intensidade da marcação, a própria mecânica do sistema de jogo.
            A partir dessas considerações, podemos claramente dividir os treinamentos táticos em:

-         Treinamento Tático Coletivo
-         Treinamento Tático Coletivo Fracionado
-         Treinamento Tático campo reduzido
-         Treinamento Tático por setor

            Treinamento tático coletivo, popular “coletivo”, consiste no jogo propriamente dito. Utilizado com o objetivo de dar ritmo de jogo, melhorar entrosamento, dar consistência ao sistema tático escolhido, testar variações, etc. O coletivo se dá de uma forma mais livre, sem ou com poucas interrupções. Muito utilizado no Brasil desde o início do século, é talvez a forma mais antiga de treinamento tático. Até hoje é muito utilizado, muitas vezes de forma excessiva.
            Treinamento tático fracionado, semelhante ao coletivo, variando no método que consiste em interrupções sempre que houver necessidade de correção individual ou coletiva. Juntamente com o treinamento tático coletivo, é amplamente utilizado no Brasil, também por ser uma variação e complemento do treinamento tático coletivo.
            Geralmente neste tipo de treinamento o técnico fica no meio do campo, como um árbitro, acompanhando os jogadores e fazendo as paralisações necessárias.
            Treinamento tático campo reduzido, se dá em um espaço reduzido, com um objetivo tático ou mais. Utilizado com o objetivo de melhorar alguma situação tática na equipe como o encaixe de marcação, movimentações ofensivas, inversão de bola, compactação, etc. Treinamento inteligente, pois se torna muito dinâmico, com muita movimentação e participação do atleta, forçando seu raciocínio e criatividade.
            Treinamento tático por setor, pode ser trabalhado de várias formas, com o objetivo de “ajustar” alguns detalhes que estão faltando naquele setor da equipe. Exemplo: No coletivo mesmo você pode demarcar o espaço aonde quer que seus atletas de ataque fiquem girando e ali mesmo você estimular algumas movimentações que você como técnico gostaria que fosse feito. Ou ainda alguns treinamentos, posicionando apenas sua linha de quatro defensiva e colocar a outra equipe atacando com 6 atletas, e aos poucos ir ajustando os detalhes defensivos de sua defesa.
            Contudo, vejo que podemos evoluir muito ainda, tanto a nível de base como no Profissional, estimulando nossos atletas a pensar, criar e ser mais táticos. Não estou dizendo que temos que robotizar nossos atletas, e tirar a criatividade deles, mas temos sim, que melhorar cada vez mais, nosso trabalho de campo  e ser mais críticos com nós mesmos.

*Auxiliar técnico da equipe Profissional do Clube Esportivo Bento Gonçalves -RS
Profissional de Educação Física, formado pela Universidade de Caxias do Sul –RS
CREF: 017221-G/ RS
Contato: julio-cesarnunes@hotmail.com (Email e MSN)

Nenhum comentário:

Postar um comentário